QUARESMA, TEMPO DE VIVÊNCIA CRISTÃ



Padre Carlos Aparecido Marchesani, Pároco

Paz e bem!

Caros irmãos e irmãs em Cristo, com alegria nos aproximamos de um tempo muito favorável à nossa vivência cristã: o tempo da quaresma.

A Quaresma, como prática obrigatória, foi instituída no século IV, mas, desde sempre, os cristãos se preparavam para a Páscoa com oração intensa, jejum e penitência. O número de quarenta dias tem um significado simbólico-bíblico: quarenta são os dias do dilúvio, da permanência de Moisés no Monte Sinai, das tentações de Jesus. Guiados por esse tempo e pelas práticas – como que guiados por uma bússola –, buscamos os tesouros da fé para crescer no seguimento de Nosso Senhor Jesus Cristo.

Neste espírito temos então em nossas mãos e coração a graça de crescermos em nossa fé, que a partir das Cinzas (que nos recorda que somos pó e ao pó devemos voltar), a vivermos um tempo favorável à nossa conversão através de três atitudes de mudança de vida e de coração (metanóia), ou seja, conversão:
1- Esmola: através da esmola somos convidados pela Mãe Igreja a rejeitar o egoísmo que fecha o coração para as necessidades do outro; é uma atitude de mudança radical de olharmos para o outro e mudar o nosso relacionamento com o próximo. É um convite a sermos solidários com as necessidades sem o julgamento da vida e história de ninguém.
2- Jejum: por esta atitude de conversão aprendemos a vencer o egoísmo que nos leva a olhar apenas para as nossas necessidades. Ajuda-nos vencer a idolatria que podemos correr o risco de viver: olhando apenas para os meus próprios interesses. É uma atitude nova que me converte o coração, a mente e as atitudes e me apontam que o centro da vida não está em mim.
3- Oração: finalmente, através desta atitude somos convidados à uma conversão em nossa relação com Deus e como vivermos nossa vida espiritual; é um forte convite a colocar Deus como o centro de nossa vida que nos impulsiona a vencer a negação a Deus em nossa história, pois se Deus não é aquele quem conduz os meus passos, a medida dos valores e das pessoas, será a partir de mim mesmo.

Então, neste contexto quaresmal a Igreja no Brasil também quer despertar em nós um senso maior de pertença à Igreja que nos convida a uma séria reflexão sobre a nossa postura como discípulos de Jesus no mundo. Por isso a Campanha da Fraternidade nos ajuda a cada ano por um tema específico a sermos conduzidos em nosso caminho de conversão a termos um olhar mais acentuado sobre as situações em nosso redor. Nenhum processo de conversão, santidade e salvação exclui as pessoas e realidades em torno de nós: a conversão nos impulsiona à uma atitude nova, por isso que as três atitudes: esmola, jejum e oração, se complementam neste nosso processo de vida nova.

Abramos o nosso coração para a graça de uma nova vida. Que este tempo favorável à nossa conversão possa apontar novas direções em nossa vida como cidadão no mundo chamado a iluminar e a evangelizar os vários ambientes em que nos encontramos. Que este tempo de quaresma nos aponte para a vitória de Cristo que iremos vivenciar no Tríduo Pascal, cume de nossa fé. Deus abençoe a cada um e a cada uma nesta dinâmica nova de vida.