Evangelho da Quarta-feira do Tempo do Natal depois da Epifania



Padre José Luiz Nascibem - Paróquia São benedito

Marcos 6,45-52
Depois de saciar os cinco mil homens, imediatamente ele obrigou os seus discípulos a subirem para a barca, para que chegassem antes dele à outra margem, em frente de Betsaida, enquanto ele mesmo despedia o povo. E despedido que foi o povo, retirou-se ao monte para orar. À noite, achava-se a barca no meio do lago e ele, a sós, em terra. Vendo-os se fatigarem em remar, sendo-lhes o vento contrário, foi ter com eles pela quarta vigília da noite, andando por cima do mar, e fez como se fosse passar ao lado deles. À vista de Jesus, caminhando sobre o mar, pensaram que fosse um fantasma e gritaram; pois todos o viram e se assustaram. Mas ele logo lhes falou: "Tranqüilizai-vos, sou eu; não vos assusteis!" E subiu para a barca, junto deles, e o vento cessou. Todos se achavam tomados de um extremo pavor, pois ainda não tinham compreendido o caso dos pães; os seus corações estavam insensíveis. Palavra da Salvação.

Leitura. O que o texto diz. Mc 6, 45-52.
Terminada a leitura fazer uma segunda leitura silenciosa do texto. Agora prestando atenção se há personagens, diálogos, mudanças de locais, de tempo. Repare se há intervenção do narrador.
Terminada a segunda leitura, tente contar, com suas palavras, o que o texto narra.
Repare que esse texto se situa no evangelho após o da multiplicação de pães e peixes. Nele é o narrador quem fala quase tudo, e apenas transcreve uma fala de Jesus com os discípulos.

Meditação. O que o texto me diz.
Marcos é um evangelho muito suscinto. Aqui ele narra de forma rápida um episódio da vida de Jesus com os discípulos. Como narrador mostra várias ações de Jesus, quase sem diálogos. É importante meditar sobre essas ações de Jesus, e como os discípulos reagem diante do que Jesus faz, e como Jesus avalia, naquele momento, a sua comunidade de discípulos.

Fazer silêncio e meditar o que o texto faz em mim.
O que me despertou mais atenção no texto? Por que? Há alguma frase, alguma palavra que me pareceu mais importante? Como eu resumiria esse texto numa frase? Ou resumiria numa palavra ou expressão?

Oração. O que eu digo a Deus
Deus me falou através do texto, da meditação, por intermédio de seu Espírito Santo, e é momento de dizer a Ele o que me vai ao coração. Falar a Deus é falar de coração aberto. Com intimidade. Transparência. E por isso devo me revelar a Ele, como Ele se revela no texto, nos testemunhos do evangelho.

Contemplação: o que Deus faz em mim.
A palavra de Deus é eficaz. Ela age dentro de mim e é capaz de me transformar. É momento de em silêncio deixar que ela age em mim, me transforme.

O que a leitura, a meditação, a oração fazem em meus sentimentos? O que transforma dentro de mim, nos sentimentos, memória, pensamento, vontade, desejos?

Ação. O que o texto me chama a agir
Na carta de Tiago temos que a Palavra é para ser cumprida, isto é, vivida (Tg 1,22-23). Ela é chamado a que eu viva conforme seus ensinamentos, de modo a que minha vontade se aproxime da vontade de Deus. Para isso preciso leva-la à minha fé, a minha vida.
O que a leitura, meditação, oração e contemplação do texto me pede como compromisso de fé, de seguidor de Cristo na vida comunitária, de família, de trabalho ou estudo, de cidadão?

Fonte: catolicoorante