06 de agosto - festa da Transfiguração do Senhor



Padre José Luiz Nascibem - Paróquia São Benedito

Evangelho: Mt 17,1-9
Naquele tempo: Jesus tomou consigo Pedro, Tiago e João, seu irmão, e os levou a um lugar à parte, sobre uma alta montanha. E foi transfigurado diante deles; o seu rosto brilhou como o sol e as suas roupas ficaram brancas como a luz. Nisto apareceram-lhes Moisés e Elias, conversando com Jesus. Então Pedro tomou a palavra e disse: "Senhor, é bom ficarmos aqui. Se queres, vou fazer aqui três tendas: uma para ti, outra para Moisés, e outra para Elias." Pedro ainda estava falando, quando uma nuvem luminosa os cobriu com sua sombra. E da nuvem uma voz dizia: "Este é o meu Filho amado, no qual eu pus todo meu agrado. Escutai-o!" Quando ouviram isto, os discípulos ficaram muito assustados e caíram com o rosto em terra. Jesus se aproximou, tocou neles e disse: "Levantai-vos, e não tenhais medo." Os discípulos ergueram os olhos e não viram mais ninguém, a não ser somente Jesus. Quando desciam da montanha, Jesus ordenou-lhes: "Não conteis a ninguém esta visão até que o Filho do Homem tenha ressuscitado dos mortos." Palavra da Salvação.

Leitura:
Jesus sobe a um monte com três dos seus discípulos, aqueles que lhe eram mais próximos: Pedro, Tiago e João. Na frente dos três, Jesus se transfigura: suas roupas ficam brancas, aparecem Moisés e Elias conversando com ele e uma voz, dos céus, diz: “Este é o meu Filho amado, no qual eu pus todo meu agrado. Escutai-o!”. Os discípulos não sabem como reagir: caem com o rosto por terra diante de tamanha revelação, mas Pedro também quer continuar lá e armar sua tenda, porque a presença do Senhor é, de fato, reconfortante – muito mais do que os desafios que eles enfrentavam todos os dias. Jesus insiste que eles desçam da montanha e se mantenham em silêncio sobre a revelação que presenciaram.

Meditação:
Jesus proporciona a três dos seus discípulos um momento muito singular de revelação da sua identidade. Pedro, Tiago e João presenciam algo totalmente diferente do que poderiam ver no seu cotidiano: Jesus manifesta sua divindade, sua ligação com o Pai e sua ligação com a revelação que Deus fez de si ao longo da história. Há vários símbolos no Evangelho de Mateus que reforçam isso: o rosto brilhante como o sol e as vestes brancas é a representação simbólica da divindade; a voz que fala dos céus atesta a ligação de Jesus com o Pai: ele é seu Filho; além disso, Jesus se encontra com grandes figuras do Antigo Testamento: a Lei (Moisés) e os profetas (Elias). É ele a sabedoria que completa a revelação e dá sentido a tudo o que o Senhor comunicou a seu povo até agora. Nossa reflexão, no entanto, recai sobre os discípulos: diante de tamanha revelação, Pedro não quer voltar aos seus antigos itinerários, mas quer permanecer ali. Ele se encontrou definitivamente com o Senhor e quer continuar ali, não quer precisar enfrentar de novo os mesmos desafios, as mesmas dificuldades. Nós, também, quando nos deparamos com o Senhor, corremos esse risco: o de não querer enfrentar os nossos desafios diários, o de querer evita-los, porque se nos desconectamos do mundo para estar somente como Senhor então ficamos muito mais confortáveis. Jesus nos encoraja a levantar e a não ter medo. O encontro com ele nos alimenta para que possamos voltar aos nossos cotidianos e então ajudar também os outros a fazerem essa experiência de encontro com o Senhor.

Oração:
Peçamos ao Senhor um coração sempre consciente e grato pelas inúmeras oportunidades que o Senhor encontra de revelar-se a nós. Hoje não subimos a um monte para ver Jesus, mas o encontramos em tantas situações… peçamos que o Senhor nos ajude para que sejamos mais sensíveis a essas oportunidades e possamos reconhece-lo todas as vezes que ele se revelar a nós. Peçamos que nossos encontros diários com ele em seus sinais e em sua Palavra nos encoraje para que possamos voltar às pessoas, ao nosso dia a dia, mais alimentados e animados a fortalecer também os nossos irmãos no caminho para encontrar o Senhor.

Contemplação:
Pensemos em ações diárias de retorno aos irmãos, às situações que temos evitado, às pessoas que temos ignorado. Vamos refletir sobre o itinerário de nossa vida, reconhecendo como o Senhor se manifesta expressivamente em várias situações do nosso dia a dia, e nos esforçando para que sejamos mais conscientes e mais agradecidos pelas oportunidades que ele mesmo cria de encontrar-se conosco.

Fonte: catolicoorante