MENTES SADIAS GERAM CORPOS SAUDÁVEIS

Aparecido Soares de Alcântara Filho

Ao longo dos anos temos percebido que a temática da saúde ganha cada vez mais espaço em nosso meio. Fatores como aumento da expectativa de vida, somados ao sentimento de que a existência deve ser vivida com qualidade e bem-estar, podem ser apontados como causadores dessa nova onda. Isso quer dizer que cada vez mais o ser humano busca viver mais e melhor. Por outro lado, o crescimento do acesso às informações faz com que muitas pessoas, na certeza de um suposto saber, assumam a condição de autoridade no assunto, sem possuir o conhecimento suficiente para legitimar tal pretensão.

Se não estivermos atentos àquilo que queremos e, sobretudo àquilo que precisamos para ter uma vida saudável e com qualidade, corremos o risco de nos perdermos diante de tantas informações. Isso porque juntamente com as boas informações, nos são passadas, aquelas que prometem milagres, nos induzem a corridas por fórmulas existenciais mágicas e que nos prometem sucesso sem esforço, dando a vida um fenômeno contraditório: na busca insana por conseguir uma boa qualidade de vida o indivíduo pode acabar desenvolvendo um comportamento neurótico, capaz de conduzi-lo ao desenvolvimento de estresse e outras patologias psíquicas e físicas dele resultantes.

O mundo atual nos coloca muitas responsabilidades, através de cobranças excessivas por viver intensa e freneticamente, como condição necessária para justificarmos nossa existência. Isso faz com que queiramos tudo para agora, muitas vezes nos esquecendo de que a vida em sua completude é resultado processual de conquistas que vamos obtendo ao longo da nossa vida. Aquelas sensações que experimentamos como fruto do imediatismo tendem a se dissipar da mesma forma imediata com que se manifestaram. Surge daí o entendimento de que a verdadeira saúde mental é construída através de um processo que nos permite selecionar aquilo que queremos e que nos faz bem, nos desprendendo daquilo que não nos acrescenta e não nos beneficia verdadeiramente. São passos importantes para aquele que deseja trilhar o caminho da verdadeira saúde vista em sua totalidade, aquela que permite a verdadeira harmonia entre mente e o corpo

Em se tratando da sintonia entre mente e corpo, há muito a medicina entende que boa parte das doenças que se manifestam fisicamente tem sua origem na desarmonia psíquica. A partir do momento em que essa constatação ganhou força, a própria visão sobre doença e a forma de abordá-la sofreu também mudanças significativas. Se antes se falava na prática da medicina apenas para curar um mal que já havia se instalado na pessoa, agora a abordagem está focada na medicina preventiva, aquela que orienta para cuidados que possam evitar que a doença se instale. No ano atípico que estamos vivendo, o discurso em torno da adoção de medidas preventivas faz ainda mais sentido.

Essa preocupação com a prática preventiva ganha um significado especial nesses dois meses, outubro e novembro, por conta da campanha de prevenção contra o câncer de mama e de próstata, ocasião em que somos convidados a dedicar uma atenção especial à nossa saúde, dando mostras do quanto valorizamos e nos importamos com a vida que recebemos. Do ponto de vista psíquico verificamos que os indivíduos que desenvolvem essa caminhada tranquila se esforçando para não cair no extremo do alarmismo - quando se entrega a sentimentos de medo e pavor diante de algum mal possível - ou no negacionismo – quando desenvolve um mecanismo de negação, como se pretendesse com isso apagar os riscos a que estamos sujeitos - são aqueles que se encontram em um estágio de maior conforto e bem estar, uma vez que é com práticas dessa natureza que construímos as condições internas que nos permitirão experimentar com sobriedade a beleza do existir em toda sua plenitude, podendo assim desfrutar da bela sinfonia existencial que a vida pode nos proporcionar.

* Psicanalista e Filósofo Clínico.
Contato: aparecido.alcantara@hotmail.com.br / (11) 99545-9007