OPINIÃO - PASTORAL DA COMUNICAÇÃO

Terminamos o Tempo da Quaresma. Tempo propício para orar, jejuar e ofertar esmola. Seguindo o calendário da Igreja Católica Apostólica Romana, o referido tempo inicia-se na Quarta-feira de Cinzas. A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), no decorrer desse período possibilita aos fiéis católicos, por meio da Campanha da Fraternidade, que a cada ano tem um pertinente tema, protagonizarem das mais diversificadas formas atitudes concretas, pois como dizia o Apóstolo Tiago: - “A fé sem obras, é morta”.

No entanto 2020 trouxe consigo uma forma diferente para vivenciar esse Tempo da Quaresma. Nunca se fez tão propício se resguardar, silenciar, orar e se colocar a serviço do próximo, ainda que assim o seja até pelo meio virtual. Foi sendo um tempo em que as feridas ficaram expostas, mostrando a todos que a sociedade global está a serviço do mercado financeiro, declinando o verdadeiro sentido da vida. Menosprezando que o Verbo se fez carne e veio habitar entre nós, a fim de que toda a humanidade tivesse VIDA e que assim o fosse em plenitude.

Para o Criador todos são seus filhos: no cortiço, na favela, na periferia, mansões, condomínios de luxo ou populares e esse tempo veio mostrando na prática o quanto Deus ama toda a humanidade. No entanto, respeitando a escolha de cada indivíduo. Quantas decisões insanas, equivocadas foram tomadas anteriormente em prol do mercado e em detrimento da vida. Quantas falácias de que se está a serviço do povo, da família, da moral e dos bons costumes e as máscaras caem diante do momento que a sociedade global está vivendo. Entretanto, após o dilúvio a terra renasce e a humanidade poderá renascer junto com essa nova terra. O tempo da Quaresma passou, contudo, o amor de Deus pela humanidade (independente de religião, de ser agnóstico ou ateu) prevalecerá, A graça e a misericórdia de Deus sempre se fizeram, se faz e se farão presente. A ressurreição chegará, é Emanuel conosco. “Não há mais luto, nem dores, nem pranto, ressuscitou, pois, a aurora tinge de púrpura o céu”.

Na Paróquia São Benedito, o Clero, comandado pelo padre Marcílio Gragefe, conjuntamente com os demais colaboradores e paroquianos seguem com obediência a determinação do Bispo Diocesano, Dom Vicente Costa e, também, as autoridades sanitárias. As celebrações da Semana Santa não acontecerão com público para evitar aglomeração e contaminação pelo coronavírus. O isolamento social é muito importante neste momento. Pelo site da Paróquia e pelas Redes Sociais a Pastoral da Comunicação vai informando e mostrando os materiais litúrgicos que a CNBB e a Diocese de Jundiaí apresentam como subsídios para que os fiéis celebrem em casa a Semana Santa.

Papa Francisco, nossa gratidão por sua generosidade e solidariedade para com toda a humanidade. Deus o abençoe! São Benedito, mostrai-nos os caminhos do Senhor e Mãe Aparecida com teu manto de amor, protege a nação brasileira!

Cidinha Dalla Vecchia – PasCom São Benedito