Quaresma e Campanha da Fraternidade

Padre José Luiz Nascibem
Vigário Paroquial - Paróquia São Benedito

Após a Ressurreição os primeiros cristãos começarão a reunir-se para celebrar sua festa não mais no sábado, como os judeus, mas no domingo. Este dia passou a chamar-se Dia do Senhor, em latim Dies Dominicus, em português: domingo. Neste tempo não havia as festas que nós hoje celebramos, mas somente o domingo. Passadas algumas décadas viu-se a necessidade de instituir a primeira de todas as festas a Páscoa considerado o domingo dos domingos.

Aproximadamente 200 anos depois os cristãos introduziram o costume a festa precedida de três dias dedicados à oração, à meditação e ao jejum como sinal de luto pela morte de Cristo. Para prolongar a alegria foi instituído as sete semanas pós páscoa, isto é, os 50 dias que terminam com a festa de Pentecoste. Passados alguns anos percebeu-se que três dias para a festa eram insuficientes, então aumentou-se para 40 dias. Surgiu assim a quadragésima, em português a Quaresma. Desde seu início a Quaresma foi considerada como um período de renovação da vida através da oração, da luta contra o mal e o jejum. A oração para pedir a Deus força para converter-se e crer no Evangelho, a luta contra o mal para dominar as paixões e o egoísmo e o jejum pois o cristão deve pensar sempre no bem do próximo.

No Brasil durante a Quaresma também celebramos a Campanha da Fraternidade. A Campanha da Fraternidade surgiu durante o desenvolvimento do Concílio Vaticano II (1962-1965). A cada ano, desde 1964, a Igreja no Brasil propõe a todos os cristãos, a Campanha da Fraternidade (CF). Essa campanha desenvolve-se mais intensamente durante a Quaresma. É sempre um tema bem concreto através do qual, somos convidados a reconsiderar e, sobretudo, nossas atitudes para com o próximo, dando dimensão concreta à nossa conversão pessoal e à de nossas comunidades de Igreja.

Inicialmente, a igreja buscou rever sua parte interna, tanto que as primeiras campanhas tinham por objetivo principal reaproximar os leigos das atividades comunitárias e pastorais, além de reforçar a vivência na paróquia e na comunidade. Dessa forma, os primeiros temas da Campanha da Fraternidade contemplaram mais a vida interna da Igreja. A partir dos anos de 1970 essa postura muda e a Igreja passa a Igreja preocupa-se com a realidade social da população, denunciando o pecado social e promovendo a justiça. Neste ano de 2020 meio do tema e do lema da Campanha da Fraternidade 2020 – Fraternidade e Vida: Dom e Compromisso / "Viu, sentiu compaixão e cuidou dele" (Lc 10,33-34) –, somos convidados a refletir sobre o significado mais profundo da vida em suas diversas dimensões: pessoal, comunitária, social e ecológica.

ORAÇÃO DA CAMPANHA DA FRATERNIDADE 2020
Deus, nosso Pai, fonte da vida e princípio do bem viver, criastes o ser humano e lhe confiastes o mundo como um jardim a ser cultivado com amor. Dai-nos um coração acolhedor para assumir a vida como dom e compromisso. Abri nossos olhos para ver as necessidades dos nossos irmãos e irmãs, sobretudo dos mais pobres e marginalizados. Ensinai-nos a sentir verdadeira compaixão expressa no cuidado fraterno, próprio de quem reconhece no próximo o rosto do vosso Filho. Inspirai-nos palavras e ações para sermos construtores de uma nova sociedade, reconciliada no amor. Dai-nos a graça de vivermos em comunidades eclesiais missionárias, que, compadecidas, vejam, se aproximem e cuidem daqueles que sofrem, a exemplo de Maria, a Senhora da Conceição Aparecida, e de Santa Dulce dos Pobres, Anjo Bom do Brasil. Por Jesus, o Filho amado, no Espírito, Senhor que dá a vida. Amém!